• Mulher Cíclica

Entendendo o ciclo menstrual



Assim como a lua e as estações, nós somos cíclicas. E um dos ciclos mais presentes ao longo da nossa vida é o ciclo menstrual, mas poucas mulheres sabem como ele realmente funciona. Para nos empoderarmos de nosso próprio corpo, é preciso que o conheçamos. Por esse motivo, trouxemos aqui um apanhado sobre o nosso sangrar, nossa ciclicidade, a fisiologia do ciclo menstrual natural e saudável e suas principais nuances.

De forma bem resumida, um ciclo menstrual natural (sem uso de hormônios sintéticos, por exemplo) e saudável têm início com o primeiro dia da menstruação e dura até o dia anterior à menstruação seguinte. Esse período pode durar, em média, um ciclo lunar (28 dias), podendo variar 7 dias para menos ou para mais em ciclos saudáveis, a depender da singularidade de cada mulher, cada corpo, condições emocionais, alimentação etc. Essa duração também pode variar saudavelmente de um ciclo para o outro na mesma mulher (desde que durando de 21 a 35 dias), e se manifestar de formas diferentes em situações como o pós-parto, na adolescência e nos primeiros meses após parar de usar contraceptivos hormonais.


Entendido isso, podemos dividir o nosso ciclo menstrual em duas grandes fases (folicular e lútea) ou, ainda, em quatro fases (menstrual, pré-ovulatória, ovulatória e pré-menstrual), que ocorrem natural de forma circular, cíclica. Essa ciclicidade só é possível, é claro, graças aos nossos hormônios, que dançam de forma harmoniosa para que tudo saia dentro dos conformes nessa grande festa que é nosso corpo.


Os principais hormônios envolvidos são o FSH (hormônio foliculoestimulante), o LH (hormônio luteinizante), a progesterona e o estrogênio. A dança hormonal tem início em uma pequena glândula chamada hipófise, localizada na face inferior de nosso cérebro. É a hipófise quem produzirá o FSH e o LH, enquanto os ovários produzirão estrogênio e progesterona.



1. Fase folicular - da menstruação à ovulação


A fase folicular tem início com a menstruação e vai até o final da pré-ovulação, com duração variável - 10, 14, 20 dias... Embora algumas pessoas erroneamente afirmem que esse processo deva necessariamente durar 14 dias (ou seja, que a mulher deve menstruar no 14º dia do ciclo), não existe um padrão. E ainda que uma mulher tenha uma fase folicular de 14 dias, esse tempo pode variar de um ciclo para o outro a depender de inúmeros fatores, como alimentação, estado emocional etc.


Menstruação


A menstruação é basicamente o período de sangramento ocasionado pela descamação do endométrio, a camada mais interna do nosso útero (veja a imagem abaixo), que ficou mais espessa no ciclo anterior e que perdeu uma de suas finalidades por não ter havido uma fecundação. Para que o sangramento ocorra, quase tudo dependerá da ovulação do ciclo anterior. Portanto, se a ovulação "atrasa" ou não acontece, consequentemente a menstruação demora mais a vir ou não vem também.



O primeiro dia de menstruação com fluxo de sangue vermelho vivo é considerado o primeiro dia do ciclo menstrual. Em ciclos saudáveis, a menstruação pode durar entre 3 e 7 dias de fluxo com sangue vermelho, com intensidade variável (de 5 a 80ml totais), podendo ser mais forte nos primeiros dias e mais leve nos últimos - ou o contrário, em algumas mulheres.


Nessa fase, nosso fluido cervical é praticamente inexistente e nosso colo do útero está baixo, mais fechado e mais duro. O fluido (ou muco) cervical é uma secreção natural e saudável produzida pelo cérvix, o colo do útero. Ele é completamente diferente das secreções não-saudáveis (como as que estão presentes em infecções vulvovaginais, candidíase, vaginose bacteriana etc.) e permite que os espermatozoides sobrevivam por mais tempo no aparelho genital da mulher. Podemos até identificar quando estamos mais férteis, menos férteis ou não férteis pelo fluido cervical, como veremos melhor em outro texto.


Enquanto o sangramento está acontecendo, o FSH estará sendo produzido pela hipófise, fazendo com que os folículos ovarianos comecem a se preparar para a ovulação seguinte e que os ovários produzam estrogênio, fundamental para a fase pré-ovulatória e ovulatória.


Essa fase do ciclo é vivenciada de formas diferentes por cada mulher e pode ser acompanhada de irritação, desânimo, cansaço, inchaço e cólicas de intensidade leve. Simbolicamente, é um momento que se relaciona com a fase nova da lua, o inverno e o arquétipo da anciã, que representam uma possível necessidade de recolhimento que muitas mulheres têm, além da baixa energética.


Pré-ovulação


Após os dias de fluxo com sangue vermelho vivo, algumas mulheres têm ainda pequenos borrões de sangue amarronzado que podem durar por volta de 2 dias (é a famosa "borra de café"). Nesse momento, em geral, muitas mulheres ainda sentem algum cansaço e dores nas pernas, pela "perda" de sangue, mas já começam a se sentir mais energética, emocional e fisicamente dispostas ao longo dos dias.


Nos ovários, por ação do FSH, os folículos continuam se desenvolvendo (e um deles vai ganhando mais destaque) e os níveis de estrogênio continuam aumentando, para que o útero comece a preparar o endométrio e aumente o fluido cervical (que começará mais sequinho, firme e grudento, de cor mais opaca, até ficar mais cremoso e, quanto mais perto da ovulação estiver, mais úmido, líquido, abundante e translúcido ele ficará). Graças ao fluido cervical, os espermatozoides que entrarem no corpo da mulher nesse momento poderão ficar vivos por vários dias. Nessa fase, também graças ao estrogênio, o colo do útero vai ficando mais molinho, começando a ficar mais alto e mais aberto.


Aos poucos, a disposição energética vai aumentando, e tendemos a nos sentir mais dispostas, alegres, com possíveis inchaços nos seios e por vezes com a pele mais macia - claro que as percepções e experiências físicas, emocionais e energéticas são individuais, podem ser diferentes para cada mulher e até mesmo ter diferenças de um ciclo para o outro; o importante é que cada mulher consiga se observar e compreender como cada etapa do ciclo se manifesta. A fase pré-ovulatória pode ser simbolizada pela lua crescente, primavera e o arquétipo da donzela.


2. Fase lútea - da ovulação à menstruação


E finalmente chegamos ao período que compreende da ovulação à próxima menstruação. Como já explicado anteriormente, essa fase não necessariamente se inicia no 14º dia do ciclo e isso é perfeitamente normal; faz parte do nosso grande mistério, e da natureza indomável e imoldável que temos. É a ovulação que "atrasa" e acaba empurrando a menstruação seguinte mais para frente, e não o contrário.


Ovulação


O estrogênio está em alta, há uma diminuição do FSH e um aumento na produção de LH pela hipófise. O LH terá um pico de produção que, entre outros fatores, resultará na ovulação, a liberação do óvulo por um dos ovários (e eventualmente pelos dois ovários). Esse óvulo sairá do ovário e será captado pela tuba uterina mais próxima. E se tiver algum espermatozoide por ali, ele poderá alcançar o óvulo na tuba uterina e acontecer a fecundação. Nesse momento, o colo está bem alto, aberto e molinho, e o fluido cervical está no ápice da umidade, bem abundante e translúcido: indicadores de fertilidade (em primeira ordem, todo muco cervical é fértil, mas quanto mais próximas estamos da ovulação, mais fértil ele está).


Simbolicamente, essa etapa do ciclo menstrual tem relação com a fase cheia da lua, o verão e o arquétipo da mãe. Em geral, há bastante disposição física, emocional e energética. Muitas mulheres até sentem a libido mais aflorada da pré-ovulação à ovulação. Pode ser ocorra um leve desconforto abdominal ou até mesmo um sangramento (que pode durar em média 2 dias, e é completamente diferente da menstruação; cuidado para não fazer confusão! Observando seus sinais de fertilidade, você consegue saber quando está ovulando ou quando é menstruação mesmo).


Pré-menstruação


Após a liberação do óvulo e com a ajuda do LH, as células foliculares dão origem ao corpo lúteo, também chamado de corpo amarelo. Ele, por sua vez, passará a produzir altas doses de progesterona, impedindo uma nova ovulação, na expectativa de que uma fecundação ocorra nas próximas horas ou dias - o corpo lúteo e a progesterona são quem sustentam o início da gestação. Nessa fase, o endométrio já está bem espesso (por ação do estrogênio), glandular e rico em vasos sanguíneos (por ação da progesterona), condições ideais para que um embrião se fixe nas paredes uterinas.


Logo que a ovulação acontece, por conta da função da progesterona de acelerar o nosso metabolismo, a nossa temperatura basal (ou seja, a temperatura do corpo em estado de repouso) aumenta significativamente. Esse também é um sinal de fertilidade importante, se mapeado devidamente ao longo de alguns ciclos menstruais, para que consiga saber sempre quando ovulou e quando é o momento propício para tentar uma gestação (ou evitá-la).


Nessa fase do ciclo, o colo começa a se fechar, a ficar mais baixo e firme, ao passo que o fluido cervical vai ficando mais seco e, em alguns casos, já não é mais percebido. Emocionalmente, algumas mulheres já começam a sentir alguma indisposição, inchaços no baixo-ventre, sensibilidade nos seios e cada vez mais necessidade de recolhimento. Outras manifestam emoções mais intensas, geralmente associadas à TPM. É uma etapa que pode ser associada à lua minguante, ao outono e ao arquétipo da feiticeira. É justamente a despedida da vida que se transformou.


Não havendo fecundação, o óvulo se desintegra, os níveis de LH e FSH começarão a diminuir, regredindo o corpo lúteo e diminuindo os níveis de progesterona e estrogênio. O endométrio, que não cumprirá mais a função de acolher um embrião, começa então a descamar, dando início a uma nova menstruação e, consequentemente, um novo ciclo menstrual.


Referências


DA SILVEIRA, G. P. G.; PESSINI, S. A.; DA SILVEIRA, G. G. G. Ginecologia baseada em evidências. Rio de Janeiro: Atheneu, 2012.


GRAY, M. Lua vermelha. São Paulo: Pensamento, 2017.


LADO OCULTO DA LUA; COLETIVO IDÍLIO. Viva seu ciclo. Acesso em 29 de outubro de 2018. Disponível em <http://www.vivaseuciclo.com/>.


WESCHLER, T. Taking charge of your fertility: the definitive guide to natural birth control, pregnancy achievement, and reproductive health. Estados Unidos da América, Nova Iorque: William Morrow & Company, 2015.

Mulher Cíclica © 2020